Última hora

Em leitura:

Amigos de Dmitry Bulatov defendem-no e pedem uma investigação internacional


Ucrânia

Amigos de Dmitry Bulatov defendem-no e pedem uma investigação internacional

Dmitry Bulatov foi operado esta sexta-feira. No hospital estiveram amigos do homem que assumiu um papel de relevo nas manifestações, nas ruas de Kiev, que corroboram as suas palavras:

“Espancaram-no, torturaram-no, crucificaram-no. As mãos tinham sinais de ter sido pregadas. Foi interrogado, queriam saber quem estava por detrás da AutoMaidan, quem estava a financiá-la”, afirma Andriy Telizhenko, ativista da AutoMaidan.

Para Arsenyi Yatsenyuk, líder do partido Frente da Mudança, que está em Munique para participar numa conferência sobre segurança, mas deixou o país por temer pela vida, é preciso agir:

“Vamos insistir, em Munique, para que se inicie uma investigação internacional sobre todos os assassinatos, abuso, tortura, sequestros de pessoas e de todas as situações de que os jornalistas foram alvo.
Os acontecimentos recentes, como com Dmitry Bulatov, são a prova de que existem esquadrões da morte na Ucrânia, como na América Latina.”

A situação no país é ainda muito complexa. Nos últimos meses várias pessoas morreram nos confrontos com a polícia, fala-se ainda de desaparecidos.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte

mundo

Síria: Guerra prossegue alheia às conversas de Genebra