Última hora

Última hora

República Centro Africana: refugiados vivem em condições miseráveis

Em leitura:

República Centro Africana: refugiados vivem em condições miseráveis

Tamanho do texto Aa Aa

Quase um milhão de refugiados, um quarto da população da República Centro Africana, foge num país onde a violência, entre cristãos e muçulmanos, não dá tréguas.

No campo de M’Poko, localizado no aeroporto de Bangui, os milhares de pessoas que aqui vivem fazem-no em condições extremas e com pouca ajuda, como explica Lindis Hurum, coordenadora do campo:

“Estão a viver aqui cerca de cem mil pessoas, nesta pequena área, perto do aeroporto. Não percebemos porque é que a ajuda a estas pessoas é tão reduzida.”

Enquanto alguns se resignam, há quem decida partir, para outras cidades, em busca de uma vida melhor, Ousman é um deles:

“É triste, muito triste. Nasci aqui, na África Central. Sou forçado a partir, amanhã vou para Chade apesar de não conhecer lá ninguém, nunca lá estive. Mas sei que vou ser bem recebido.”

Don Bosco é outro campo de refugiados. Aqui vivem cerca de 35 mil pessoas, menos do que em M’Poko, mas a organização humanitária que gere o campo conseguiu criar aqui um hospital de campanha.