Última hora

Última hora

Simbikangwa arrisca perpétua pelo genocídio no Ruanda

Em leitura:

Simbikangwa arrisca perpétua pelo genocídio no Ruanda

Tamanho do texto Aa Aa

O julgamento de Pascal Simbikangwa, que esta terça-feira arrancou em Paris, pode custar ao antigo capitão do exército ruandês a prisão perpétua. Detido em França há quase cinco anos, por alegada cumplicidade no genocídio do Ruanda, a presença de Simbikangwa e, tribunal marca o primeiro julgamento realizado em França por causa deste episódio negro escrito na história do continente africano há vinte anos.

Um início de julgamento que satisfaz o Coletivo Civil pelas Vítimas de Ruanda. “É um dos suspeitos responsáveis pelo genocídio. Esperamos que Pascal Simbikangwa dê algumas respostas ao tribunal. Há muito que vínhamos a lutar para que acontecesse o primeiro julgamento deste caso em França e finalmente está a acontecer”, afirmou Alain Gauthier, representante do coletivo.

O advogado de defesa mantém, contudo, a inocência do antigo oficial, que, às ordens do então governo de etnia hutu do Ruanda, terá participado há duas décadas no assassínio em massa de elementos indiscriminados de etnia tutsi.