Última hora

Última hora

"Mea Culpa", um filme de ação à francesa

Em leitura:

"Mea Culpa", um filme de ação à francesa

Tamanho do texto Aa Aa

Polícias na cidade francesa de Toulon, Simon e Franck festejam o final de uma missão. Mas a festa acaba em tragédia. Um desastre rodoviário provoca duas vítimas, uma das quais uma criança. Franck escapa sem ferimentos. Simon era o condutor, estava alcoolizado e fica gravemente ferido. Ele perde tudo: a família e o emprego. Seis anos mais tarde, divorciado da mulher, Alice, Simon trabalha agora no transporte de valores e tem dificuldade em cumprir o papel de pai do seu filho Theo de nove anos. Franck, que permaneceu na polícia, acompanha a situação à distância. Um dia, o pequeno Theo assiste a um ajuste de contas entre criminosos. As ameaças não tardam a surgir. Simon vai fazer todos os possíveis para proteger o filho e encontrar os criminosos. Para tal, volta a reunir-se com Franck, ocasião para revisitar o passado em comum e memórias difíceis.

O cinema de ação é um género dominado pela indústria cinematográfica norte-americana – um domínio que os cineastas franceses estão longe de dominarem. Foi por isso que o realizador francês, Fred Cavayé, lhe deu um toque pessoal para evitar cair nas armadilhas associadas a este género.

Falando à euronews, Fred Cavayé afirma que não tentou imitar o cinema americano. “Trata-se de um filme francês que se aproxima tanto do cinema anglo-saxónico como do cinema coreano”, afirma o realizador, “na base encontramos uma história humana com personagens que são reais e verosímeis”, conclui.

Trata-se da primeira vez que dois atores icónicos, Vincent Lindon e Gilles Lellouche contracenam no mesmo filme. A química entre os dois é evidente.

Dois amigos normais com quem a audiência se pode facilmente identificar, envolvidos numa luta contra um gangue violento. Os dois atores franceses mostram os seus talentos e o realizador criou um filme intenso e com muito suspense.

“Mea Culpa” já estreou em França e na Bélgica.