Última hora

Última hora

Nova estirpe da gripe das aves faz um morto na China

Em leitura:

Nova estirpe da gripe das aves faz um morto na China

Tamanho do texto Aa Aa

Uma nova estirpe do vírus da gripe das aves, o H10N8, já provocou uma morte na China. Esta nova mutação, ao que se saiba, ainda só infetou duas pessoas, numa delas, contudo, de forma fatal: uma mulher de 73 anos morreu em dezembro.

O instituto de produtos biológicos de Xangai está já a estudar este novo vírus, que, à partida, pode ser transmitido apenas das aves para os humanos, mas não entre pessoas. “O vírus consegue sobreviver com temperaturas baixas. Por isso, temos de aumentar a nossa vigilância nos aviários”, explicou Chen Ze, um dos investigadores do instituto.

A hipótese de uma nova pandemia, embora remota, é real. A nova mutação surge quando os casos da última estirpe conhecida, a H7N9, continuam a aumentar na China, onde se registaram já cerca de 300 infetados.

Em Portugal, de acordo com o secretário de Estado da Alimentação e da Investigação Agroalimentar, Nuno Vieira e Brito, desde 2007 que não se verifica qualquer caso de gripe das aves. Há cerca de dois meses soou o alarme no Alentejo e mais de 60 galinhas de uma capoeira doméstica em Mértola foram mesmo abatidas e incineradas. Mas as análises efetuadas tiveram resultados negativos para a presença de alguma das estirpes do vírus aviário.

O foco internacional da gripe das aves está, contudo, apontado à China, onde novas estirpes têm vindo a surgir nos últimos tempos e o perigo de se propagar aos humanos está cada vez mais presente.