Última hora

Última hora

O carro-cisne deita vapor pelo bico

Em leitura:

O carro-cisne deita vapor pelo bico

Tamanho do texto Aa Aa

A Rétromobile em Paris é o paraíso para os colecionadores de carros.

Este ano, a feira expõe um conjunto de viaturas que pertenceram às dinastias indianas.

O realizador Muzaffar Ali era filho de um marajá indiano e guarda muitas memórias de infância.

“Quando era criança brincava neste carro, conheço todos os detalhes do carro. Fiz muitos disparates com ele e um deles foi tê-lo vendido. Quando vendemos uma coisa, ela acaba por fazer-nos falta. E quando possuímos as coisas não lhes damos valor”, sublinhou o realizador.

Um das raridades do espólio indiano é o carro cisne de 1920.

“É feito de madeira e coberto de ouro e os puxadouros são em forma de peixe. Tem também pequenas escovas para limpar os pneus. Antes o vapor saí pelo pescoço e pelo pico do cisne. Era usado para afastar a multidão nas ruas de Calcutá”, explicou François Melcion, diretor da feira.

O evento assinala também o centenário da primeira guerra mundial, o primeiro conflito onde as viaturas desempenharam um papel importante.

“Uma das atrações do evento é esta viatura Renault usada pelo general francês Joffre durante a ofensiva de Champanhe em 1915. Há muito história nesta feira mas fazem-se também muitos negócios”, contou o repórter da euronews.

Em 2013, a feira parisiense dedicada aos carros antigos movimentou quase 15 milhões de euros.

“O preço dos carros tem tendência a aumentar porque às vezes tornam-se refúgios para os investidores. Além disso nem todos os carros custam dois ou três milhões, há também viaturas a dez mil euros ou cinco mil euros. É um mercado que funciona bem porque destina-se a um público alargado. Em qualquer ponto do mundo há colecionadores de carros”, sublinhou François Melcion.

Os carros desportivos fazem parte das estrelas do evento. É o caso do Renault Alpine e dos automóveis que participaram no Paris-Dakar.