Última hora

Última hora

Síria: "Pausa humanitária" no inferno de Homs

Em leitura:

Síria: "Pausa humanitária" no inferno de Homs

Tamanho do texto Aa Aa

3 dias de cessar-fogo em Homs, uma “pausa humanitária” na Guerra da Síria, um pequeno alívio no calvário de milhares de civis sitiados na cidade velha há mais de 600 dias pelas tropas de Bashar al-Assad.

Entre mulheres, crianças e principalmente idosos, 83 pessoas tiveram esta sexta-feira direito ao primeiro pedaço de pão após meses de sobrevivência a azeitonas e algumas ervas. Outros 2500 civis devem começar a receber bens essenciais e apoio médico dentro da cidade velha já este sábado.

O governador de Homs mostrou-se satisfeito com o decorrer das operações e garantiu que os que deixarem a cidade podem ir para onde quiserem.

Os ativistas estão céticos em relação ao destino dos refugiados depois de um acordo similar noutra cidade, no ano passado, ter terminado com dezenas de pessoas detidas ou desaparecidas.

As armas calaram-se temporariamente em Homs no dia em que o exército retomou o controlo de grande parte da prisão de Alepo, a cidade do norte da Síria onde não param de cair as bombas sujas do regime, barris carregados de explosivos e fragmentos de metal para um efeito mais devastador.

Em Homs, as bombas regressam segunda-feira, dia em que governo e oposição voltam a sentar-se à mesa das negociações em Genebra.