Última hora

Em leitura:

Tumultos deixam rasto de destruição na Bósnia


Bósnia-Herzegovina

Tumultos deixam rasto de destruição na Bósnia

Confrontos, saques e protestos. A Bósnia-Herzegovina está a viver a pior onda de violência desde o fim da guerra há 9 anos. Sexta-feira foi o terceiro de três dias de tumultos que deixaram um rasto de destruição em várias cidades do país do pequeno país balcânico, especialmente nas zonas croato-muçulmanas.

em Sarajevo, até o edifício da presidência foi incendiado. A ira popular, desencadeada por elevado desemprego e inércia política, provocou vários feridos, 145, dos quais 93 são polícias, só na capital, na sexta-feira. Muitos outros foram registados ao longo dos dias.

Os tumultos começaram a meio da semana em Tuzla, na sequência do encerramento de fábricas. Seguiram-se depois protestos em cidades como Mostar, Zenica ou Bihac, não esquecendo Sarajevo. Há quem afirme tratar-se de uma verdadeira primavera Bósnia.

40 % dos Bósnios estão desempregados.

Os distúrbios são inéditos no pós-guerra, onde sérvios, croatas e muçulmanos têm tolerado estagnação política para evitar um regresso ao conflito, que entre 92 e 95 fez 100 mil mortos.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte

mundo

Julgamento da Infanta Cristina faz periclitar ainda mais a monarquia espanhola