Última hora

Última hora

Sochi: Höfl-Riesch revalida título olímpico no super combinado

Em leitura:

Sochi: Höfl-Riesch revalida título olímpico no super combinado

Tamanho do texto Aa Aa

Maria Höfl-Riesch soube aproveitar da melhor forma a ausência da lesionada Lindsey Vonn para vincar a sua hegemonia nas provas de esqui alpino em Sochi.

A alemã revalidou o título olímpico conquistado há quatro anos na mais polivalente das disciplinas, o super combinado.

No downhill a alemã até desiludiu e não foi além do quinto melhor tempo, perdendo mais de um segundo para a sua grande rival, Julia Mancuso. Acabou por se redimir no slalom, onde uma prestação perfeita lhe valeu a medalha de ouro.

A prata foi para a austríaca Nicole Hosp, que também impressionou no slalom. Mancuso, que tinha sido a mais rápida na descida, teve de se contentar com o lugar mais baixo do pódio.

Fora das medalhas ficou a detentora da Taça do Mundo Tina Maze. Höfl-Riesch garantiu o segundo título olímpico para a Alemanha em Sochi, depois de um primeiro dia desapontante em que os germânicos ficaram a zero.

A primeira de Fourcade

Depois de desiludir nos dez quilómetros sprint, Martin Fourcade garantiu a sua primeira medalha de ouro olímpica na perseguição. O biatleta francês não só impôs um ritmo forte como esteve irrepreensível com a carabina, falhando apenas um tiro. Uma prestação de ouro.

Ole Einar Bjørndalen, que aos 40 anos surpreendeu ao vencer o sprint, tinha uma oportunidade de ouro para ultrapassar Bjørn Dæhlie, como o biatleta com mais medalhas olímpicas da história, mas ficou-se pela quarta posição.

Ondřej Moravec foi o único dos dez primeiros a não falhar na carreira de tiro e foi recompensado com a medalha de prata. Jean-Guillaume Béatrix ficou com o bronze.

Charles Hamelin confirma o favoritismo

Na patinagem de velocidade, não se registaram surpresas nos 1500 metros. A vitória foi para Charles Hamelin, que já tinha vencido dois títulos olímpicos há quatro anos, em Vancouver. O canadiano dominou a prova final, do início ao fim, e promete não ficar por aqui em Sochi. Ainda tem prevista a participação em mais duas provas individuais e uma estafeta.

A medalha de prata foi para o chinês Tianyu Han, a de bronze para Viktor Ahn, patinador que fez história na modalidade pela Coreia do Sul e mudou de nacionalidade para garantir a primeira medalha olímpica de sempre para a Rússia na patinagem de velocidade.