Última hora

Última hora

"Demissão": A Bósnia está farta de politiquices

Em leitura:

"Demissão": A Bósnia está farta de politiquices

Tamanho do texto Aa Aa

Ao sétimo dia, não houve descanso nos protestos na Bósnia-Herzegovina por causa do desemprego e da miséria. As manifestações, com epicentro em Tuzla, já levaram à demissão dos chefes de metade dos 10 governos regionais que constituem a federação croato-muçulmana.

Independentemente da etnia, os bósnios estão fartos dos políticos – uma classe considerada corrupta – e querem eleições antecipadas, algo que a Constituição não prevê.

“Demissão”, voltou a escutar-se esta terça-feira em Sarajevo e nas principais cidades da Bósnia.

“As pessoas estão insatisfeitas. 600 mil estão sem trabalho. 700 mil vivem abaixo do limiar da pobreza. Há pessoas que não têm o que comer”, explica um funcionário de uma fábrica de calçado que diz ter 14 salários em atraso.

Os acordos de paz de Dayton dividiram o poder entre etnias que não se entendem quando é necessário tomar decisões.

Segundo os analistas, a revolta só não começou mais cedo porque o FMI e a banca têm injetado muitos milhões para tapar o défice.