Última hora

Última hora

Irão celebra 35 anos da Revolução Islâmica

Em leitura:

Irão celebra 35 anos da Revolução Islâmica

Tamanho do texto Aa Aa

No dia 11 de fevereiro de 1979, o Irão proclamou o triunfo da Revolução Islâmica. 35 anos depois, os gritos “Morte à América” e “Abaixo Israel” continuam a ecoar bem alto nas ruas de Teerão apesar do clima de desanuviamento nas relações internacionais.

Eleito em junho do ano passado, o moderado Hassan Rohani subiu esta terça-feira ao palco na praça Azadi e afirmou que “o Irão está determinado em realizar negociações justas e construtivas” para resolver a questão do nuclear. O presidente iraniano criticou as sanções económicas que continuam a ser impostas ao país e classificou de “ilusão”, a possibilidade de um ataque contra a República Islâmica, que foi evocada por responsáveis americanos em caso de fracasso das negociações.

As discussões com vista a um acordo global para a questão do nuclear devem ser retomadas a 18 deste mês, em Viena.

Na véspera do culminar dos “Dez Dias do Amanhecer”, que evocam o período entre a chegada ao Irão do aiatola Khomeini – no dia 1 de fevereiro – e o derrube da monarquia do Xá Reza Pahlevi, Teerão afirma testado com sucesso mais dois mísseis. Segundo o ministro da Defesa iraniano, um dos projéteis é um míssil balístico furtivo de longo alcance.