Última hora

Última hora

Chuva de críticas no governo de uma Inglaterra debaixo de água

Em leitura:

Chuva de críticas no governo de uma Inglaterra debaixo de água

Tamanho do texto Aa Aa

A Inglaterra está literalmente debaixo de água, especialmente o sul, e as nuvens ameaçam agravar o estado diluviano em que o país se encontra.

Mais de um milhar de casas foram evacuadas, muitos transportes estão paralisados e o governo de David Cameron tenta conter inundações de críticas.

Muitos ingleses nunca viram nada assim, como em Hampton Court, na região de Middlesex. “O esgoto rebentou nas traseiras, por isso agora, na cozinha consigo ver e cheiras água do esgoto. Estou a bombeá-la, mas está a entrar cada vez com mais força pelas traseiras. Tenho um vizinho que me disse que vive aqui há 20 anos – eu vivo aqui há quatro – e que, em duas décadas, nunca viu inundações como estas”.

Para já, numa estimativa inicial, os estragos estão avaliados em 500 milhões de euros. Com o passar do tempo, os prejuízos vão aumentar.

As pessoas queixam-se de outras pessoas. “Existem maneiras de evitar que as coisas se tornem mais graves e o encerramento das ruas não está a ser suficiente. Algumas pessoas estão a ficar com os carros danificados porque não ligam às indicações, e de cada vez que algum caro passa isso faz aumentar o nível das águas um pouco mais”, afirma um homem.

A proteção civil foi reforçada com mil e seiscentos homens das forças armadas.

O primeiro-ministro David Cameron cancelou uma visita oficial ao Médio Oriente.

De acordo com a correspondente da Euronews em Staines-upon-Thames, “aqui e na região vizinha, a polícia decretou serem zonas de incidentes maiores. As autoridades afirmam nunca terem recebido tantos alertas de inundações. Algumas zonas sofreram o dobro da precipitação média mensal e já é oficialmente o início do ano mais chuvoso em 250 anos. Os dados meteorológicos indicam que mais está para vir”.