Última hora

Última hora

Sochi: Equilíbrio levado ao extremo no esqui alpino

Em leitura:

Sochi: Equilíbrio levado ao extremo no esqui alpino

Tamanho do texto Aa Aa

Nunca se viu nada assim no programa olímpico do esqui alpino. Ao quinto dia de competição fez-se história em Sochi e as protagonistas foram Tina Maze e Dominique Gisin no downhill.

O duelo pelo primeiro lugar foi tão equilibrado que ambas as esquiadoras foram obrigadas a partilhar a medalha de ouro. Completaram ambas a descida com o tempo de 1m41s57’.

A eslovena garantiu o primeiro título olímpico na história do seu país nos Jogos de Inverno, a suíça foi a grande surpresa uma vez que não vencia uma prova desde março de 2010.

Com duas medalhas de ouro, a prata acabou por não ser atribuída. Lara Gut ficou com a medalha de bronze depois de ter concluído a prova um décimo de segundo atrás das vencedoras.

Frenzel arrasa a concorrência no combinado nórdico

No combinado nórdico, Eric Frenzel era o favorito e não desiludiu. O alemão conquistou o único grande título que faltava no seu palmarés impondo-se na prova que junta os saltos de esqui e o esqui de fundo.

Frenzel saltou para a liderança no trampolim normal e geriu depois a vantagem na corrida de dez quilómetros.

A quatro segundos e dois décimos ficou o japonês Akito Watabe, que tinha como ponto alto na carreira o título mundial na estafeta por equipas em 2009. O norueguês Magnus Krog ficou com a medalha de bronze.

Domínio laranja na patinagem de velocidade

A Holanda continua a dominar a patinagem de velocidade. No entanto, depois de dois pódios cem por cento laranja nos 500 e nos 5 mil metros, no quilómetro os patinadores holandeses ficaram-se “apenas” pelo primeiro e terceiro lugar.

Stefan Groothuis é o novo campeão olímpico, Michel Mulder, que tinha vencido o ouro nos 500 metros, conquistou a medalha de bronze.

O intruso, na segunda posição, foi o canadiano Denny Morrison.

Dobradinha da Rússia na patinagem artística

O dia fechou com uma dobradinha dos anfitriões na competição de pares na patinagem artística. E se o sucesso de Tatiana Volosozhar e Maxim Trankov era esperado depois de terem concluído o programa curto com 84,17 pontos, um novo recorde do mundo, a medalha de prata para Ksenia Stolbova e Fedor Klimov pode ser considerada uma surpresa.

O par russo beneficiou de duas quedas dos favoritos Aliona Savchenko e Robin Szolkowy, obrigados a arriscar no programa livre. O par alemão teve de se contentar com o bronze, tal como em Vancouver.

Volosozhar e Trankov garantiram o segundo ouro em Sochi, já tinham ajudado a Rússia a vencer a competição por equipas.

Após cinco dias de competição a Alemanha lidera o quadro de medalhas em Sochi, com seis ouros num total de oito medalhas. A Noruega tem mais, doze, mas apenas quatro resultaram no título olímpico.