Última hora

Última hora

Contagem decrescente em Itália

Em leitura:

Contagem decrescente em Itália

Tamanho do texto Aa Aa

Ainda não nomeado, Matteo Renzi, provável futuro chefe de governo italiano, encontra dificuldades em formar a sua equipa.

O líder do Partido Democrático foi convocado pelo presidente da República, que deverá recebê-lo durante o período da manhã de segunda-feira. Mas Renzi não terá ainda ultrapassado os primeiros obstáculos nas negociações difíceis com Angelino Alfano, vice-primeiro ministro e líder do Novo Centro-direita, o NCD, que pediu condições claras sobre o programa do futuro governo.

“Se dissermos ‘não’ ao governo, o governo não nasce. Se dissermos ‘sim’ ao governo, o governo nasce. É uma grande responsabilidade, porque não temos direito de errar”, afirma Alfano.

Sabe-se que não foi possível chegar a um acordo em 48 horas.

Um comentador explica: “É um grande salto para Renzi, porque quer alcançar uma meta muito clara, a de fazer reformas, apesar de só contar com uma pequena maioria. Temos de reconhecer que Renzi, desde que se tornou secretário do Partido Democrático, tem feito grandes progressos, por exemplo, sobre a lei eleitoral, algo que esperávamos há sete anos”.

Todas as atenções estão agora voltadas para a reunião de amanhã, no palácio presidencial, altura em que, ao que tudo indica, o chefe de estado, Giorgio Napolitano, deve oficializar a nomeação do jovem líder do PD a primeiro-ministro, conferindo-lhe o mandato para formar um governo.