Última hora

Última hora

Governo turco faz pressão sobre jornalistas

Em leitura:

Governo turco faz pressão sobre jornalistas

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro turco abre mais uma frente de polémica após uma vaga de ações para controlar os meios de comunicação no país.

Centenas de jornalistas reuniram-se para uma manifestação contra a pressão do governo sobre as redações, sobretudo quando se fala de partidos da oposição.

Cerca de 200 jornalistas reuniram-se em Babıali, lugar onde todos os jornais tinham as suas sedes no passado. Em marcha, dirigiram-se ao Gabinete do Governador de Istambul e apelaram ao fim da pressão e da chantagem.

“O governo está a tentar controlar os media de comunicação usando os diretores ou jornalistas próximos do regime. Agora, nós jornalistas, queremos dizer que já chega. É, por isso, que aqui estamos”, explica Hilmi Hacaloğlu.

Çiğdem Anad, outro jornalista, lê a declaração: “A censura está a acabar com os jornalistas. A pressão, a censura e a autocensura estão a consumir os media. O primeiro-ministro está a intervir nos programas em direto e até nos oráculos”.

Na semana passada, uma gravação de voz do primeiro-ministro foi publicada no YouTube. Na conversa, Recep Tayp Erdogan queixa-se ao diretor da televisão Haberturk da transmissão do discurso do líder da oposição, Devlet Bahceli. O diretor da TV pede desculpa e assegura intervir. Imediatamente, a transmissão é interrompida.

Esta semana, a ONG Repórteres sem Fronteiras e o Comité para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) publicaram um relatório sobre a degradação da liberdade de imprensa na Turquia.

No relatório do CPJ pode ler-se que a Turquia “continua a ser o país com maior número de jornalistas presos” pelo segundo ano consecutivo.