Última hora

Última hora

Itália: Presidente convoca sucessor de Letta com a direita à escuta

Em leitura:

Itália: Presidente convoca sucessor de Letta com a direita à escuta

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente de Itália, Giorgio Napolitano, convocou para uma reunião, esta segunda-feira de manhã, o líder do partido de centro-esquerda Matteo Renzi. O chefe de Estado escolheu o atual prefeito de Florença para suceder a Enrico Letta, que se demitiu de primeiro-ministro na sexta-feira, depois de o Partido Democrático, liderado por Renzi, lhe ter retirado a confiança política.

Napolitano quer saber quais os planos de Matteo Renzi para o futuro da Itália, devendo, tudo indica, confirmá-lo como o novo primeiro-ministro e autorizá-lo oficialmente a formar novo governo. Tarefa que o líder do centro-esquerda já terá começado, mas que não está a revelar-se fácil para o jovem defensor de reformas profundas para o país, o qual tem visto muitas portas a baterem-lhe na cara após oferecer as pastas do novo executivo.

Matteo Renzi é uma nova figura da alta-roda da política italiana. Prefeito de Florença desde 2009, acaba de celebrar há pouco mais de um mês 39 anos. O líder do Partido Democrático pode vir a tornar-se no mais jovem primeiro-ministro de Itália e no terceiro chefe de governo não eleito da bota do Mediterrâneo. Mas tem ainda muitos obstáculos a ultrapassar.

Um deles, e talvez o mais difícil, é Angelino Alfano, o atual vice-primeiro-ministro, que é também o líder do Partido Nova Centro-Direita. O antigo braço direito de Silvio Berlusconi, a reboque dos 31 senadores afetos ao seu partido, é a peça-chave para Matteo Renzi formar um governo de coligação com poder de decisão no Senado e assim poder almejar a tirar a Itália da crise onde caiu. Alfano mostra-se favorável ao novo governo de Renzi, mas impõe condições. Uma delas é que o governo, embora de centro-esquerda, inclua as ideias da direita e outra a de que o jovem reformista não feche o programa de governação em menos de 48 horas.