Última hora

Última hora

Parlamento Europeu exige sanções contra o regime ucraniano

Em leitura:

Parlamento Europeu exige sanções contra o regime ucraniano

Tamanho do texto Aa Aa

Na manhã que se seguiu à escalada de violência que deixou mais de duas dezenas de mortos em Kiev (capital da Ucrânia), a comunidade ucraniana em Bruxelas manifestou-se à porta do Parlamento Europeu (PE) para exigir uma resposta da União Europeia.

No interior, a comissão de Negócios Estrangeiros voltou a pedir a aprovação de sanções contra o regime do Presidente Viktor Ianukovich.

O presidente da comissão parlamentar, Elmar Brok, disse que “até agora defendemos uma solução diplomática que permitisse obter a pacificação mas, depois do que aconteceu esta madrugada, os cidadãos da Ucrânia podem esperar de nós respostas claras e concretas”.

Outro eurodeputado, Michael Gahler, afirmou que o PE “exige que o regime pare a violência e exige que a Rússia o faça também, pois temos relatos de que a Rússia leva a cabo agressões tais como sequestros e mesmo execuções seletivas”.

Na sala estava também Ruslana, uma cantora e ativista ucraniana, que pediu que as sanções, tais como congelamento de bens e não concessão de vistos de viagem, sejam aplicadas rapidamente.

Ruslana admite fazer greve de fome e alertou que “o Presidente está a fazer uma guerra e diverte-se como se fosse um jogo de batalha naval. Para ele é tudo uma brincadeira, não se importa que haja pessoas a serem mortas. É indiferente a tudo e não acredita que a UE imponha sanções.”

Para discutir as eventuais sanções, os chefes da diplomacia dos 28 Estados-membros convocaram uma reunião extraordinária, quinta-feira, em Bruxelas.