Última hora

Última hora

Sochi: Bjørndalen entra na galeria dos imortais, Arthur Hanse arrisca e cai

Em leitura:

Sochi: Bjørndalen entra na galeria dos imortais, Arthur Hanse arrisca e cai

Tamanho do texto Aa Aa

Ole Einar Bjørndalen entrou para a história em Sochi, tornando-se no desportista com mais medalhas conquistadas nos Jogos de Inverno. O biatleta de 40 anos ajudou a Noruega a vencer a estafeta mista, sagrando-se campeão olímpico pela oitava vez, num total de 13 medalhas olímpicas. O anterior recorde de 12 medalhas estava na posse do seu compatriota Bjørn Dæhlie.

No entanto, Bjørndalen não foi o único biatleta com motivos para festejar na equipa norueguesa. Para Emil Hegle Svendsen tratou-se do segundo ouro em Sochi, a juntar aos dois que tinha conquistado em Vancouver, e para Tora Berger tratou-se do segundo título olímpico da carreira.

A República Checa e a surpreendente Itália conquistaram a medalha de prata e bronze, respetivamente.

Ligety confirma favoritismo

No esqui alpino, Ted Ligety confirmou o favoritismo no slalom gigante. O bicampeão mundial da disciplina, tornou-se no primeiro norte-americano a vencer duas medalhas olímpicas no esqui alpino, já tinha vencido o combinado em Turim.

A seu lado no pódio ficaram dois franceses. E se o bronze de Alexis Pinturault não surpreende, a prata de Steve Missillier não estava nas previsões nem dos mais otimistas. Em nove anos na Taça do Mundo, apenas por uma vez tinha subido ao pódio.

O austríaco Marcel Hirscher voltou a desiludir os seus adeptos ao não ir além do quarto posto.

Arthur Hanse completou a primeira manga com o 57º melhor tempo. Na segunda, arriscou para tentar um lugar nos 50 primeiros mas acabou por ser traído pela neve demasiado macia. Sofreu uma queda e não conseguiu completar a prova.

O esquiador português volta a entrar em ação sábado, no slalom.

Tudo em família

A sexta medalha de ouro dos anfitriões em Sochi foi garantida no snowboard, mais concretamente no slalom gigante paralelo. O responsável foi Vic Wilde, de origem norte-americana mas que compete pela Rússia desde 2012 depois de ter casado com a snowboarder Alena Zavarzina.

A sua esposa conquistou a medalha de bronze na prova feminina. Podia ter chegado mais longe, mas uma queda quando liderava o duelo da meia-final frente a Patrizia Kummer deitou tudo a perder. A suíça venceu título olímpico, derrotando na final Tomoka Takeuchi.

Finlândia vence prova polémica

No esqui de fundo o dia foi dedicado ao sprint por equipas, estilo clássico. A prova masculina valeu pela emoção e apenas foi decidida nos metros finais. Iivo Niskanen e Sami Jauhojärvi garantiram o ouro para a Finlândia ao derrotarem a Rússia por 97 centésimos. O pódio ficou completo com a Suécia.

Após a prova, a Alemanha apresentou um protesto. Em causa um acidente já no fim da corrida, em que uma colisão entre Jauhojärvi e Tim Charnke provocou a queda do alemão quando se encontrava na liderança. O protesto foi rejeitado.

A prova feminina foi menos dramática, as norueguesas Ingvild Flugstad Østberg e Marit Bjørgen arrasaram por completo a concorrência e deixaram a Finlândia a nove segundos. Tal como aconteceu nos homens, a Suécia completou o pódio.