Última hora

Última hora

Kiev: Cuidar dos feridos e dos mortos

Em leitura:

Kiev: Cuidar dos feridos e dos mortos

Tamanho do texto Aa Aa

As câmaras de reportagem da euronews registaram, esta quinta-feira de manhã, as imagens de corpos na Praça da Independência e de feridos a serem transportados para os hospitais improvisados nas proximidades, assim como comentários desesperados dos que se mantêm firmes na revolta.

“Eles, os polícias, têm as armas e nós só temos estes escudos protetores. Isto não é uma boa proteção. As balas podem perfurar mesmo dois escudos como este. As pessoas estão a cair sob os nossos olhos e não nos deixam sequer recolher os feridos”, diz um homem.

“Eu não sei o que dizer. Esperamos poder vencer e que Ianukovich entenda a situação”, refer uma residente de Kiev, em lágrimas.

A Catedral de São Miguel, próximo da praça onde têm decorrido os confrontos, transformou-se, por estes dias, em hospital de campanha. Foram aqui instaladas mesas de cirurgia e muito pessoal médico e de enfermagem presta serviços em voluntariado.

Maria Korenyuk, explica:
“Esta igreja é um teatro de operações. Foi pedido aos jornalistas que não entrem para não perturbarem o pessoal médico. Os médicos dizem que só têm oito mesas de cirurgia e que os feridos são em grande número. Os doentes não ficam aqui muito tempo. Após os primeiros socorros, são enviados para os hospitais de Kiev.”