Última hora

Última hora

Sochi: Ucrânia volta a sorrir, Camille Dias também

Em leitura:

Sochi: Ucrânia volta a sorrir, Camille Dias também

Tamanho do texto Aa Aa

A Ucrânia teve finalmente motivos para sorrir. Por alguns momentos os adeptos ucranianos puderam esquecer a situação que se vive nas ruas de Kiev e vibrar com o triunfo da equipa feminina de biatlo na estafeta.

Uma vitória histórica, ou não se tratasse da primeira medalha de ouro olímpica para o país nos Jogos de Inverno em 20 anos.

Oksana Baiul, que venceu o ouro na patinagem artística em 1994 era a única ucraniana que já tinha subido ao lugar mais alto do pódio. Tem agora a companhia de quatro biatletas, Juliya Dzhyma, as irmãs Vita e Valj Semerenko e Olena Pidhrushna.

A Rússia terminou em segundo lugar com a Noruega a completar o pódio.

Os primeiros casos de doping

Quem já não participou na prova foi Evi Sachenbacher-Stehle. A alemã foi o primeiro caso confirmado de doping em Sochi e foi imediatamente expulsa da aldeia olímpica.

A biatleta de 33 anos, que conta com dois títulos olímpicos no palmarés, já admitiu inclusivamente que era culpada, acrescentando que vive um verdadeiro pesadelo.

Apesar de tudo, não se pode dizer que Sachenbacher-Stehle tenha uma carreira livre de suspeitas. Nos jogos de Turim, em 2006, foi suspensa durante cinco dias devido ao nível anormalmente alto de glóbulos vermelhos.

A luta contra o doping em Sochi, no entanto, promete não ficar por aqui. O italiano William Frullani, que curiosamente até ganha a vida como agente de polícia e participou na prova de bobsleigh, também controlou positivo e viu-se obrigado a regressar a casa mais cedo.

Shiffrin bate mais um recorde, Camille Dias festeja vitória pessoal

Mikaela Shiffrin fez história no slalom feminino, confirmando a sua superioridade na disciplina. Aos 18 anos a norte-americana tornou-se na mais jovem de sempre a sagrar-se campeã olímpica no esqui alpino. Impôs-se por mais de meio segundo às austríacas Marlies Schild e Kathrin Zettel.

A portuguesa Camille Dias conseguiu terminar na primeira metade da tabela, concluindo a prova na 40ª posição.

Dobradinha canadiana no skicross, Ahn vence dois ouros no mesmo dia

No esqui, estilo livre, depois do pódio 100% francês no skicross masculino, foi o Canadá a dominar a prova feminina, alcançando uma dobradinha. Marielle Thompson conquistou o ouro, Kelsey Serwa, campeã do mundo da disciplina em 2011, ficou-se pela prata. O bronze foi para a sueca Anna Holmlund.

O dia terminou com o duplo triunfo de Viktor Ahn na patinagem de velocidade, pista curta. Primeiro conquistou os 500 metros, depois ajudou a Rússia a vencer os 5000 metros estafeta.

Nascido na Coreia do Sul com o nome de Hyun-soo Ahn, Viktor Ahn tem agora seis títulos olímpicos no seu palmarés. Três pelo país asiático nos Jogos de Turim em 2006, três pelo seu novo país em Sochi.