Última hora

Última hora

Ucrânica: manifestantes têm o controlo de Kiev e procuram Yanukovych

Em leitura:

Ucrânica: manifestantes têm o controlo de Kiev e procuram Yanukovych

Tamanho do texto Aa Aa

A crise política na Ucrânia entra numa nova fase numa altura em que se desconhece o paradeiro do presidente Viktor Yanukovych e melícias anti governo tentam localizar o chefe de Estado.

Os manifestantes retomaram o controlo de Kiev incluindo o acesso a edifícios da Administração do Estado.

Organizados em grupos de auto defesa estas milícias invadiram a residência de Yanukovych ao mesmo tempo que a oposição política exigiu no parlamento, novas eleições presidencias e legislativas para maio.

Os populares conseguiram entrar na residência presidencial, em Mezhyhirya, a cerca de 15 km de, Kiev sem encontarem qualquer resistência por parte dos seguranças.

Um dos seguranças disse que não houve saques e que estão a proteger o edífico atè à chegada do novo presidente por acreditarem que Yanukovych não voltará.

A polícia ucraniana declarou há poucas horas que está do lado do povo que compartilha as suas aspirações “mudança rápida” .

A mensagem surge num comunicado divulgado em nome de todos os funcionários do Ministério do Interior no seu site oficial.

Yanukovych , que enfureceu boa parte da população , ao recusar a aproximação à União Europeia para construir laços mais estreitos com a Rússia há três meses, fez ontem amplas concessões num acordo mediado por diplomatas europeus após três meses de violência de matou 80 pessoas .

No entanto este compromisso, que convocou eleições antecipadas para o fim do ano, não foi suficiente para satisfazer os manifestantes que insistem na necessidade de afastamento do chefe de Estado após o massacre de dezenas de civis, na sua maioria abatidos por atiradores de elite da polícia posicionados nos telhados.

O futuro de um país de 46 milhões de pessoas pode decidir-se nas próximas horas e a o que parece libertado da influência de Moscovo e mais perto do Ocidente.

No Parlamento os trabalhos aceleram. O braço direito de Yulia Tymoshenko, Oleksandr Turchinov foi eleito presidente do Parlamento ucraniano.

Os parlamentares votaram leis para acelerar a liberação de presos políticos incluido a rival de Yanukovych Yulia Tymoshenko, que deverá ser libertada brevemente.

Tymoshenko foi preso em 2011 por abuso de poder ligado ao
um acordo de gás com a Rússia, após um julgamento denunciado pela União Europeia como politicamente motivado.