Última hora

Última hora

Ucrânia: Deputados afirmam que parlamento agiu dentro da lei

Em leitura:

Ucrânia: Deputados afirmam que parlamento agiu dentro da lei

Tamanho do texto Aa Aa

Após a votação do Parlamento ucraniano, Viktor Ianukovitch anunciou que não renuncia ao cargo, e que as medidas adotadas pela assembleia são “ilegítimas”.

Para o líder da oposição, Vitali Klitschko, o Parlamento agiu em conformidade com a legislação do país. “A maioria constitucional dos deputados votou, hoje, no Parlamento. Tivemos 300 voto, que é o número suficiente de deputados para mudar o Constituição. Os nossos advogados dizem que todas as decisões que foram votadas estavam dentro da legalidade. A minha presença na vida política é guiada pela motivação de transformar a Ucrânia num Estado europeu moderno”, assegura.

Para o deputado do Partido das Regiões, do presidente, Serhiy Tihipko, a Ucrânia não “precisa de mais mortes. Tenho a certeza de que as pessoas no sudeste da Ucrânia, apesar de não sentirem o mesmo nível de pressão, como no centro da Ucrânia, em Kiev, vão compreender.”

Os ucranianos vão eleger um novo presidente no dia 25 de maio. Quem vai cumprir as responsabilidades presidenciais até lá, ainda não se sabe. Alguns deputados dizem que o presidente em exercício é, ainda, Viktor Ianukovitch. Outros afirmam que é o recém-eleito presidente do Parlamento.