Última hora

Última hora

Eurodeputados apelam a apoio financeiro urgente para a Ucrânia

Em leitura:

Eurodeputados apelam a apoio financeiro urgente para a Ucrânia

Tamanho do texto Aa Aa

Regressados de uma visita à Ucrânia no passado fim-de-semana, um grupo de eurodeputados defende ajuda financeira urgente àquele país que está à beira da falência.

A União Europeia (UE) prometeu colaborar com o Fundo Monetário Internacional na concessão de um empréstimo.

O conservador alemão Elmar Brok disse que “a UE está pronta a ajudar, mas espero que outros países da comunidade internacional também o estejam. Seria uma mensagem muito negativa para qualquer país nesta situação – no qual uma ditadura causou grandes danos ao povo – não receber agora a ajuda de que precisa”.

A socialista portuguesa Ana Gomes diz que é preciso manter o apoio às forças da oposição, mas também continuar vigilante em relação à interferência da Rússia.

“Tal como as pessoas reunidas na praça Maidan mostraram, o que está em causa é a defesa dos valores europeus: democracia e Estado de direito. É por isso crucial apoiá-las e não se pode permitir que ninguém, nomeadamente o Presidente Putin, tente exportar para a Ucrânia o modelo que serve os interesses dos oligarcas”, disse Ana Gomes.

Depois da queda do Presidente Ianokuvich, multiplicam-se as tensões entre as regiões pró-europeias e russófonas. A Ucrânia corre ainda risco de guerra civil e de secessão, alerta o socialista austríaco Hannes Swoboda.

“Esperamos que a oposição se comporte de forma responsável, sobretudo na luta contra a corrupção e que também faça tudo para manter a integridade do país”, disse o eurodeputado.

A sessão plenária do Parlamento Europeu deverá aprovar, esta semana, uma resolução que apela ao apoio político e financeiro ao governo interino da Ucrânia.