Última hora

Última hora

Confrontos na Crimeia

Em leitura:

Confrontos na Crimeia

Tamanho do texto Aa Aa

A Crimeia está a transformar-se num foco de tensões na crise ucraniana. Confrontos em Simferopol, diante do parlamento regional da Crimeia, entre tártaros, apoiantes do novo governo de Kiev e grupos pró-Rússia, vieram esta quarta-feira aumentar a tensão naquela região da Ucrânia.

Os receios de intenções separatistas e de uma intervenção militar russa, trouxeram para a rua os tártaros ucranianos. As autoridades, dizem que há cerca de 30 pessoas feridas.

Os Tártaros da Crimeia não esquecem a deportação que lhes foi imposta por Estaline e consideram os habitantes russos da Crimeia agentes dos interesses da Rússia na região. Temem que os habitantes de etnia russa da Crimeia apelem a uma intervenção de Moscovo ou que iniciem manobras separatistas.

As emoções aqueceram, depois de Moscovo ter anunciado um exercício militar junto à fronteira ucraniana, com participação da maioria das unidades militares da Rússia central e ocidental.

A frota russa do Mar Negro está estacionada na base de Sebastopol. O acesso às instalações foi esta quarta-feira vedado com uma barreira de cimento.

As comunicações rodoviárias entre Sebastopol e Sinferopol foram bloqueadas por grupos pró-Rússia, que apelam a uma intervenção militar de Moscovo

Membros dos grupos pró-Rússia, disseram à equipa de reportagem da euronews que “A Rússia pode entrar aqui com as suas forças de manutenção de paz se o parlamento da Crimeia apelar a isso. Não há que confundir isso com uma intervenção militar. Só queremos que nos protejam”.

A ideia tem sido veiculada abertamente por deputados do partido “Unidade da Rússia”, com assento no parlamento da Crimeia, que deitam assim lenha para a fogueira.

Entretanto em Sebastopol, os grupos pró-Rússia recusam-se entretanto a aceitar o novo governo de Kiev.