Última hora

Última hora

Martin Schulz é o candidato socialista à Comissão Europeia

Em leitura:

Martin Schulz é o candidato socialista à Comissão Europeia

Tamanho do texto Aa Aa

Acabou em festa o X Congresso dos Partidos Socialistas Europeus. Com José António Seguro também em Roma, foi com uma esmagadora votação a rondar os 90 por cento que o alemão Martin Schulz foi eleito como o candidato socialista à sucessão de Durão Barroso como presidente da Comissão Europeia.

O atual presidente do Parlamento Europeu recebeu 368 votos de um máximo de 404, num congresso que reuniu cerca de 800 delegados, incluindo todos os primeiros-ministros socialistas atualmente em funções na União Europeia (UE). No primeiro discurso, como candidato, Schulz colocou a criação de emprego na Europa como a grande prioridade.

“Durante os próximos cinco anos, por cada ação que tomarmos na União Europeia teremos de ser capazes de responder a uma simples pergunta: Como é que isto poderá ajudar a criar emprego? O que mais poderemos nós fazer para dar uma verdadeira oportunidade aos nossos filhos?”, expressou o alemão, com confiança.

Em estreia nos congressos dos partidos socialistas europeus esteve o novo primeiro-ministro de Itália. O Partido Democrático, de Matteo Renzi, faz parte, desde a última sexta-feira, da família socialista europeia. O recém-nomeado chefe de Governo italiano também tomou a palavra e defendeu que “as liberdades económicas não podem ignorar os direitos sociais” na Europa

Atento a todo o congresso socialista, Sándor Zsíros, o correspondente da euronews em Roma, salienta a confiança no oficializado candidato socialista à presidência da Comissão Europeia: “Martin Schulz disse, no fim do seu discurso, que está confiante de que os socialistas europeus vão vencer, em maio, estas eleições. De facto, eles têm uma boa hipótese para vencer. As últimas sondagens mostram que a Esquerda leva uma pequena vantagem sobre o Partido Popular Europeu, da Direita.”

Para o deputado português do PS, Carlos Zorrinho, por fim, a escolha de Martin Schulz “mostra que, na Alemanha, há quem pense que possa haver uma Europa diferente.”

As eleições europeias, que virão posteriormente a ser determinantes na escolha do novo Presidente da Comissão Europeia, vão decorrer entre 22 e 25 de maio, estando a ida às urnas em Portugal marcada para o derradeiro dia. Os portugueses vão poder eleger 21 deputados para o Parlamento Europeu.