Última hora

Última hora

Yatsenyuk: "estamos à beira do desastre"

Em leitura:

Yatsenyuk: "estamos à beira do desastre"

Tamanho do texto Aa Aa

Kiev encara as ações da Rússia na Crimeia como uma declaração de guerra.

A Ucrânia quer evitar um conflito armado com Moscovo, mas prepara-se para o pior.

O governo colocou o exército em alerta máximo, mobilizou os soldados na reserva e encerrou o espaço aéreo a aviões não civis.

“Estamos à beira do desastre, mas acreditamos que os nossos parceiros ocidentais e toda a comunidade internacional vão apoiar a integridade territorial e a unidade da Ucrânia” refere o primeiro-ministro ucraniano, Arseniy Yatsenyuk.

Países como os Estados Unidos ameaçam avançar com sanções contra a Rússia, mas os ucranianos pedem mais.

Nas ruas de Kiev reina a apreensão.

“Estamos obviamente muito preocupados com os filhos da Ucrânia, mas vamos utilizar todos os meios necessários para proteger o nosso país, tanto moral como fisicamente” refere uma ucraniana

“Não queremos uma guerra. É a única coisa que posso dizer. Não queremos um conflito armado. Especialmente, com a Rússia, com quem temos vivido lado a lado. Esta é uma questão política e as pessoas não deviam andar a matar-se” adianta um homem.

As ameaças de Moscovo estão a aproximar os ucranianos. Um dos homens mais ricos do país e defensor de Viktor Yanukovich veio a público apelar à unidade dos cidadãos para evitar a divisão da Ucrânia.