Última hora

Última hora

Pânico nos mercados russos

Em leitura:

Pânico nos mercados russos

Tamanho do texto Aa Aa

A bolsa russa registou esta segunda-feira a maior queda em seis anos. O risco de uma guerra entre a Rússia e a Ucrânia está a afugentar os investidores.

A bolsa de Moscovo fechou a cair quase 11% e o rublo afunda-se.

O pânico no mercado levou o Banco Central russo a subir de emergência a taxa de juro para 7%, ou seja, um aumento de 1,5 pontos percentuais.

Nikita Bekasov, porta-voz da bolsa de Moscovo, considera “que os investidores tiveram em conta os eventos de política externa do fim de semana, quando os mercados estavam fechados. Os eventos tiveram um impacto sobre o rublo, que está em queda face ao euro e ao dólar. Mas a reação oportuna do banco central, que elevou a taxa de juro, teve um impacto imediato “.

O impacto foi imediato, mas temporário.

A bolsa russa, já afetada pela crise das divisas dos mercados emergentes, perdeu num único dia mais de 58 mil milhões de dólares e o rublo atingiu mínimos históricos face ao euro e ao dólar.

Para apoiar a divisa, o Banco Central interveio também no mercado cambial. Estima-se que tenha vendido cerca de 10 mil milhões de dólares das reservas de divisas e ouro.

O pânico nos mercados ameaça a economia russa que, em 2013, cresceu 1,3%, metade do valor do ano precedente.

A situação preocupa os cidadãos. Uma russa afirma: “Não traz nada de bom e estou pessimista. Penso que as razões são muito claras. A situação política, a situação económica instável e o baixo crescimento do PIB.”

O secretário de Estado russo da Economia considera que o “pânico” nos mercados não deverá manter-se, mas nenhum analista avança com datas para uma eventual acalmia.