Última hora

Última hora

BCE: Mais crescimento e menos inflação na zona euro

Em leitura:

BCE: Mais crescimento e menos inflação na zona euro

Tamanho do texto Aa Aa

O Banco Central Europeu (BCE) reviu em alta as previsões de crescimento da zona euro, mas a inflação vai manter-se “na zona de perigo”.

Apesar do risco de deflação, a instituição presidida por Mario Draghi manteve a política inalterada. A taxa de juro ficou nos 0,25% e não haverá injeção de liquidez no sistema financeiro.

Mas Mario Draghi não descarta ações no futuro: “A informação recebida confirma que a recuperação moderada da economia da zona euro está a decorrer segundo as previsões. E acima de tudo, continuamos determinados em manter o alto grau de acomodação monetária e tomar novas medidas, se necessário.”

Segundo o BCE, este ano, a economia da zona euro vai crescer 1,2%, uma décima mais do que previsto em dezembro. E a aceleração vai manter-se. O PIB deverá crescer 1,5% em 2015 e 1,8% em 2016.

Para este ano, o BCE evoca uma subida das exportações e do investimento.

A economia cresceu 0,3% no quarto trimestre de 2013. Mas a retoma em curso pode ser afetada pelo desempenho dos mercados emergentes e a tensão geopolítica na Ucrânia.

Para a inflação, as previsões do BCE são menos otimistas.

Para 2014, a previsão baixou uma décima para 1%. Já no próximo ano mantém-se a taxa de 1,3%. Para 2016, a primeira estimativa é de 1,5%.

A inflação vai assim manter-se bem abaixo da meta de 2% fixada pelo BCE.

O índice de preços ao consumidor manteve-se em fevereiro nos 0,8%.

O consumo está a melhorar, graças a uma estabilização do desemprego.