Última hora

Última hora

Turquia: Erdogan considera bloquear "Youtube" e "Facebook" mas Gul rejeita hipótese

Em leitura:

Turquia: Erdogan considera bloquear "Youtube" e "Facebook" mas Gul rejeita hipótese

Tamanho do texto Aa Aa

“A liberdade de expressão na Turquia deve ser protegida e está fora de questão bloquear o Facebook e o Youtube”, a afirmação é do presidente turco Abdullah Gul, que sublinhou que, no entanto, os tribunais podem fazê-lo.

O chefe de Estado reagiu assim à ameaça do primeiro-ministro Recep Taiiyp Erdogan de bloquear as redes sociais, na sequência da divulgação de mais uma da longa série de gravações tornadas públicas, em que, alegadamente, se ouve o chefe de governo implicado em atos de corrupção e atentados à liberdade de imprensa.

Erdogan, que nega qualquer crime e acusa um inimigo político, um clérigo a viver nos Estados Unidos, de fabricar o material publicado nas redes sociais, declarou que considera bloquear o Youtube e o Facebook, depois das eleições regionais do dia 30, pois diz, “os autores da campanha são capazes de tudo”.

O presidente Gul corrigiu o primeiro-ministro afirmando que só a justiça tem esse poder.

Desde o início das investigações sobre alegada corrupção envolvendo a cúpula política do governo, em dezembro, Erdogan demitiu e transferiu polícias e magistrados, além de alterar leis relativas ao sistema judicial e ter imposto um controlo mais apertado das autoridades sobre a internet.