Última hora

Última hora

A chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, está em Teerão

Em leitura:

A chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, está em Teerão

Tamanho do texto Aa Aa

A diplomata da União Europeia vai encontrar-se, no domingo, com o presidente do Irão, Hassan Rohani, e com o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Mohammad Javad Zarif.

Em cima da mesa, o polémico programa nuclear iraniano.

Esta é a primeira vez, desde 2008, que um representante da política externa da União Europeia visita o país.

A visita de dois dias ocorre antes de mais uma rodada de negociações entre o Irão e o Ocidente, a 17 de março, em Viena, Áustria.

Em novembro de 2013, chegou-se a acordo e as atividades nucleares do Irão foram suspensas em troca de do levantamento das sanções.

Teerã e o sexteto de mediadores internacionais (5 membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e Alemanha) concordaram em uma suspensão parcial das atividades nucleares do Irã em troca do levantamento das sanções. Até 20 de julho, deverá ser elaborado um acordo global que estipule o seu levantamento.

chegou a Teerã neste sábado para discutir temas como o polêmico programa nuclear iraniano antes de outra rodada de conversas entre o Irã e as potências ocidentais, relatou a mídia iraniana.

Durante a visita de dois dias de Ashton, sua primeira ao Irã e a primeira de um representante de política externa da UE desde 2008, temas bilaterais, regionais e internacionais serão debatidos, informou a agência semi-oficial de notícias Fars.

A mídia e os jornais estatais do Irã deram grande importância à visita de Ashton, que parte da mídia reformista viu como “uma conquista” para o presidente Hassan Rouhani, que venceu a eleição de junho passado com uma plataforma de maior abertura com o Ocidente.

O Irã e seis potências ocidentais, representadas por Ashton, chegaram a um acordo provisório em novembro que tem por meta encerrar a disputa de uma década a respeito das atividades nucleares de Teerã.

“Naturalmente, o tema nuclear será discutido durante a visita da senhorita Ashton”, disse o vice-ministro das Relações Exteriores, Abbas Araqchi, na TV estatal.

Procurando aprofundar o acordo provisório, que entrou em vigor em 20 de janeiro, o Irã e as seis potências almejam fechar um acordo definitivo até o final de julho. A próxima rodada de conversas de alto nível entre o Irã e os chamados P5+1 (EUA, Grã-Bretanha, França, China, Rússia e Alemanha) ocorrerá em Viena no dia 17 de março.

O objetivo maior do P5+1 é prorrogar o tempo que o Irã precisaria para construir material físsil suficiente e montar equipamento para uma eventual bomba nuclear, e tornar esse processo mais fácil de detectar.

O Irã conseguiu um alívio limitado das sanções impostas ao país, e em troca freou suas atividades nucleares mais sofisticadas sob os termos do acordo de Genebra, mas exige o fim completo de todas as sanções da UE, dos EUA e de outros países para encerrar anos de isolamento e ressuscitar sua combalida economia.