Última hora

Última hora

Familiares de passageiros do voo da Malaysia Airlines exigem informações

Em leitura:

Familiares de passageiros do voo da Malaysia Airlines exigem informações

Tamanho do texto Aa Aa

O desespero e a indignação dominam os sentimentos dos familiares das mais de duas centenas de passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, que desapareceu no mar.

Os familiares dos passageiros acusam a companhia aérea de os ter abandonado numa sala de um hotel, no aeroporto de Pequim, capital da China, e de os manter na ignorância em relação às operações de localização e resgate.

De acordo com a Malaysia Airlines, são 14 as nacionalidades dos passageiros, incluindo americanos, franceses, indonésios, malaios… 152 passageiros são chineses. Seguiam, também, duas crianças a bordo.

Esta mulher revela que a mãe seguia no avião e espera que “o governo chinês envie equipas de busca, o mais rápido possível” pois afirma que os familiares não confiam “nos vietnamitas pois não são muito eficientes.”

Questionada se têm tido informações por parte da companhia aérea, a mulher afirma que ninguém tem estado em contacto com eles, “exceto os voluntários e os empregados do hotel.”

As buscas, para tentar localizar o aparelho que fazia a ligação entre Kuala Lumpur e Pequim, continuam, lideradas por vários países que disputam a soberania de algumas zonas da região do mar da China Meridional.

O local do acidente ainda não foi identificado. De acordo com a agência noticiosa France Press, foram avistados dois rastos de combustível no mar.

Para mais informações, pode consultar a página oficial da Malaysia Airlines