Última hora

Última hora

Militares medem forças na Crimeia

Em leitura:

Militares medem forças na Crimeia

Tamanho do texto Aa Aa

A tensão continua a escalar na península da Crimeia.

A Rússia enviou uma coluna de cerca de 500 soldados para uma base militar perto da capital, Simferopol.

A coluna militar russa incluiu 8 veículos armados, duas ambulâncias, tanques e outros veículos.

A Rússia continua a afirmar que a única força militar que mantém na Crimeia é a frota do Mar negro.

Entretanto, a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa anunciou a suspensão da missão na Crimeia depois dos observadores terem sido alvo de tiroteios, este sábado.

Nenhum dos observadores da OSCE ficou ferido. Esta foi a terceira tentativa da organização de entrar na península.

Em Simferopol, o governo da região autónoma criou a primeira unidade militar da Crimeia, constituída por 30 soldados.

O primeiro-ministro, Sergei Aksyonov, referiu que a unidade foi criada para defender o “ novo Estado” da Crimeia e que todos os soldados ucranianos, estacionados no território estão “autorizados a regressar a casa”.

Grupos armados pró-Rússia continuam a tomar posições. Uma base militar ucraniana, em Sebastopol, onde estão armazenados os mísseis S300, foi tomada de assalto durante a madrugada de sábado.