Última hora

Última hora

Presidente do Bayern de Munique admite fraude fiscal de 18,5 milhões de euros

Em leitura:

Presidente do Bayern de Munique admite fraude fiscal de 18,5 milhões de euros

Tamanho do texto Aa Aa

O processo por evasão fiscal do muito respeitável presidente do Futebol Club Bayern de Munique abriu-se, esta segunda-feira, naquela cidade bávara.

Uli Hoeness admitiu, nesta primeira sessão, ter defraudado o fisco alemão em, pelo menos, 18,5 milhões de euros.

O ministério público falara de 3,5 milhões de euros de impostos não pagos pelo dirigente do Bayern, que tinha omitido ao fisco ganhos financeiros de mais de 33 milhões de euros realizados, entre 2003 e 2009, a partir de uma conta secreta na Suíça.

Hoeness, que antes do escândalo, era um exemplo de moralidade na Alemanha, tem hoje o apoio de uma parte da população que organizou uma manifestação de apoio no exterior do tribunal regional de Munique.

Phillip Eckhart, um adepto do Bayern, explica: Uli Hoeness “fez tantas, tantas coisas boas no passado. Claro que cometeu um erro e que tem de pagar por ele – mas o que fez de bom deve ser tido em conta.”

Os ‘media’ do mundo inteiro foram atraídos por um processo que o presidente do Bayern ainda tentou evitar, ao confessar o crime – como permite a lei alemã.

Mas a confissão surgiu demasiado tarde – quando a investigação já tinha começado.

O processo deverá durar quatro dias e Hoeness incorre numa pena de até 10 anos de prisão.