Última hora

Última hora

Ucrânia: Washington admite falar com Moscovo se houver recetividade

Em leitura:

Ucrânia: Washington admite falar com Moscovo se houver recetividade

Tamanho do texto Aa Aa

Os Estados Unidos estão, afinal, recetivos a uma reunião ainda esta semana entre o secretário de Estado John Kerry e o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov.

O próprio chefe da diplomacia russa esteve esta segunda-feira reunido com Vladimir Putin, em Sochi, e havia transmitido ao presidente da Rússia, num primeiro momento, o pedido recebido no sábado por parte de John Kerry para adiar uma reunião em Moscovo para a qual Lavrov tinha convidado o secretário de Estado norte-americano para debaterem o conflito na Ucrânia.

Através de Lavrov, os Estados Unidos aproveitaram ainda para apresentar a Vladimir Putin uma proposta de resolução para a crise na Ucrânia. Mas a base dessa proposta, que descreve parte da crise como um conflito direto entre a Ucrânia e a Rússia, não satisfez o Kremlin, de onde partiu também a informação de haver uma outra proposta para o conflito, na qual a Rússia pretende ter como ponto de partido o acordo assinado a 21 de fevereiro entre representantes da União europeia, a oposição ucraniana e o governo eleito da Ucrânia liderado pelo presidente entretanto deposto, Viktor Ianukovich.

Depois das notícias provenientes de Sochi, dando conta do pedido de Kerry para adiar a reunião com Lavrov, Washington fez saber que afinal o secretário de Estado norte-americano está aberto a reunir-se com o ministro dos Negócios Estrangeiros russo ainda esta semana, mas só se Moscovo mostrar abertura para discutir as propostas norte-americanas para resolver a crise na Ucrânia.