Última hora

Última hora

Crise na Crimeia domina sessão do Parlamento Europeu

Em leitura:

Crise na Crimeia domina sessão do Parlamento Europeu

Tamanho do texto Aa Aa

A crise na Crimeia domina a sessão do Parlamento Europeu que decorre em Estrasburgo. Presente no plenário, o presidente da Comissão garantiu que continuam a ser feitas diligências diplomáticas, mas que a União Europeia está disposta a avançar com medidas mais drásticas, tendo em conta a gravidade da situação. Durão Barroso defende que “o que aconteceu na Crimeia foi uma violação inaceitável da soberania e da integridade territorial ucraniana.”

Grande parte dos eurodeputados pede a aplicação imediata de sanções, sobretudo económicas, para evitar uma intervenção militar russa noutras partes da Ucrânia. Rebecca Harms, deputada alemã dos Verdes lembra que “75% do comércio externo russo é direcionado para a União Europa. Não devemos cair num confronto militar de forma a mostrar à Rússia que se se quer isolar, esse isolamento vai acontecer.”

O eurodeputado liberal holandês, van Baalen, defende que a União Europeia tem de ser bastante forte para conseguir avançar com qualquer sanção mais dura. Johannes Cornelis van Baalen acredita que “vamos, na próxima semana, ou dentro de duas, assistir ao que a Rússia sempre quis: criar falsos problemas na Crimeia. E nós temos de avançar com sanções sérias, sanções económicas, que afectem a Rússia, e que também nos vão afetar. Mas temos de nos preparar para avançar.”

Nesta altura há tambén grande expectativa em relação ao referendo que as autoridades da Crimeia têm agendado para domingo sobre a adesão da região à Rússia. Um referendo que a Europa considera ilegal.