Última hora

Última hora

Kylie Minogue de regresso com "Kiss me Once"

Em leitura:

Kylie Minogue de regresso com "Kiss me Once"

Tamanho do texto Aa Aa

Kylie Minogue está de volta aos discos e de novo solteira. A australiana, de 45 anos, lança este mês “Kiss me Once”, o 12.o álbum da carreira e o sucessor de “Aphrodite”, de 2010.

“Into the Blue” foi o primeiro single extraído deste último registo de Kylie Minogue, que acaba de se separar do agente com quem havia trabalhado desde o início da carreira, Terry Blamey. Questionada como é que consegue manter-se no topo da indústria discográfica, a australiana é direta: “Sendo persistente.”

“Amo o que faço. Sou apaixonada por isto e, por acaso, neste momento, sinto-me mesmo revigorada. Estou muito entusiasmada com este novo disco e a seguir a frente”, afirmou Kylie Minogue, que depois de vencer um cancro em 2005 se apaixonou pelo modelo espanhol Andres Velencoso, 10 anos mais novo. A relação durou cinco anos. A separação foi confirmada em outubro e deixou algo abalada a artista, que se tem distraído nos últimos meses também como júri na edição britânica do programa de talentos “The Voice”, onde inclusive já lhe apontaram uma “paixoneta” com um dos concorrentes.

Radicada em Inglaterra, apesar de tudo da terra natal, a Austrália, é que jamais se conseguirá separar. “Sinto-me, por estes dias, parte de Londres. Mas quando estou a regressar a casa, sinto que é mesmo a minha casa. É na Austrália que estão todas as minhas memórias de criança; a minha família está lá; o meu espírito… Sinto-me a voltar à minha juventude quando estou lá. Por isso, é pouco como ter um pé em cada um dos países”, explicou.

A vida tem pregado algumas partidas a Kylie Minogue. À cabeça, o cancro da mama que teve de enfrentar, aos 36 anos. Após um tratamento agressivo em Melbourne, na Austrália, que envolveu uma operação, a intérprete de “I Should Be So Lucky” viria a completar com sucesso o tratamento de quimioterapia em França. Recentemente, numa entrevista, descreveu a solidão como um dos maiores receios. Tal como será, certamente, uma reincidência do cancro.

“Não posso comparar os dois casos. Como costumo dizer, a solidão é algo com que todos nos podemos relacionar. O cancro, por outro lado, é algo com que apenas algum de nós se podem relacionar. Eu tento, simplesmente, prosseguir com a minha vida sem ter essa sombra constantemente sobre mim. Mas é claro, que me lembro disso quase todos os dias. É normal”, desdramatizou.

O novo álbum de Kylie Minogue marca a estreia da australiana na editora Roc Nation, propriedade do rapper Jay Z. “Kisse Me Once” já está à venda.