Última hora

Última hora

Parlamento Europeu pede à Rússia que retire de imediato tropas da Crimeia

Em leitura:

Parlamento Europeu pede à Rússia que retire de imediato tropas da Crimeia

Tamanho do texto Aa Aa

O Parlamento Europeu aprovou uma resolução em que apela à Rússia para que retire, de imediato, as forças militares da Crimeia. No documento votado na sessão de Estrasburgo defende-se também a imposição de sanções da União Europeia caso Moscovo não aceite este apelo.

O eurodeputado José Ignacio Salafranca Sánchez-Neyra explica que “a Rússia tem de perceber o preço desta operação. Se insistir no objetivo, vai ficar isolada a nível internacional e a União Europeia vai tomar medidas muito restritivas.”

No Parlamento Europeu, esteve também um deputado ucraniano: Petro Poroshenko é dado como potencial candidato às próximas eleições presidenciais no país e congratulou-se pela resolução aprovada esta quinta-feira. Poroshenko disse ainda que “não é nada contra a Rússia, só queremos que a agressão acabe. Estamos prontos para assumir um compromisso em relação a Sebarstopol, quer em matéria de língua, como de direito de autonomia. Só não aceitamos é qualquer compromisso que ponha em causa a integridade territorial do meu país.”

O responsável pelos Assuntos Externos do parlamento russo também participou num encontro em Estrasburgo, com o objetivo de apresentar aos eurodeputados a posição de Moscovo neste conflito. Alexey Pushkov garantiu que “há muitas divergências em relação ao que se passa na Ucrânia. De qualquer forma, todos defendemos que é melhor minimizar as consequências das sanções que poder surgir nesta situação porque não são do interessem nem da Rússia nem da União Europeia. Nisso estamos de acordo.”

De qualquer forma, Pushkov já tinha dito numa entrevista há poucos dias, que se a União Europeia endurecer a posição em relação à Rússia, Moscovo vai responder na mesma moeda.