Última hora

Última hora

Ucrânia: Donetsk vive dias de intensas manifestações

Em leitura:

Ucrânia: Donetsk vive dias de intensas manifestações

Tamanho do texto Aa Aa

Um grupo de ativistas pró-russos tentou invadir o edifício dos Serviços de Segurança ucranianos. Exigia a realização de um referendo sobre a federalização da Ucrânia.

Os manifestantes pediram à polícia para não cooperar com o atual governo, gritando “Berkut”, o nome da unidade especial da polícia, que operava durante os confrontos em Kiev e desmembrada pelo novo executivo.

“Devia haver um referendo com quatro perguntas: Deve a Ucrânia tornar-se uma federação? Uma confederação? Permanecer assim? Ou tornar-se parte da Rússia? Todas as opiniões devem ser tidas em conta”, afirma uma mulher.

Do outro lado, decorria outra manifestação, esta a favor da Ucrânia unida. O grupo de manifestantes acabou agredido por ativistas pró-Rússia:

“Atiram pedras, bateram-nos com paus e lançaram gás. Chegámos ao autocarro e partiram o vidro com pedras e granadas de fumo. Não podíamos respirar. Desmaiei e não caí porque o autocarro estava cheio”, explicou um jovem.

Este sábado foi enterrado Dmytro Chernyavkyi, de 22 anos, morto há três dias durante um ataque destes grupos pró-russos.

A situação continua tensa em Donetsk. Ativistas pró-russos manifestam-se por um referendo sobre a federalização da Ucrânia. Os defensores da Euromaiden recuperam do choque do espancamento brutal de um dos participantes na manifestação de dia 13, pela unidade da Ucrânia. Acreditam que há uma tentativa de espalhar o medo, não só em Donetsk, mas em toda a região.