Última hora

Última hora

Robots úteis e segurança de dados

Em leitura:

Robots úteis e segurança de dados

Tamanho do texto Aa Aa

Robots úteis como “Roboy” estiveram entre as estrelas da edição deste ano do CeBit, o salão tecnológico de Hannover. Este humanóide, com músculos e rótulas embutidos, desenvolvido por investigadores alemães e suíços, foi desenhado como uma plataforma de treino para cientistas e médicos.

Entretanto, o macaco-robot espacial “Charlie”, tem pés sensitivos e espinha dorsal flexível.

Está particularmente bem equipado para se mover em solo irregular, como explica Daniel Kühn, do Centro Alemão de Investigação em Inteligência Artificial:
“Integrámos nos pés deste robot mais de 60 sensores, cujos dados são pré-processados e enviados para o computador central. A espinha dorsal é flexível e pode mover-se em todas as direções, com a mesma gama de movimentos que têm os seres humanos”.

O Centro de Investigação em Inteligência Artificial usou chimpanzés como modelos para o desenvolvimento do salto robôtico para outro espaço de exploração, com 70 centímetros de comprimento, capaz de caminhar em duas ou quatro patas, e com uma velocidade máxima de cerca de 40 centímetros por segundo.

Proteção de dados

A segurança de dados foi um dos temas chave deste salão tecnológico. Várias empresas ofereceram soluções tecnológicas chamadas “tap-proof”, que tornam os smartphones mais inteligentes e mais seguros.

Aplicações de encriptação como a “Secure Call”, promovida em conjunto pela British Vodafone e pela Secusmart, a empresa alemã responsável pela segurança do telemóvel de Angela Merkel, poderia conseguir bloquear o acesso pirata a informação privada num telemóvel.

Trata-se de encriptação end-to-end. A conversa é encriptada num telemóvel e descriptada no outro. No percurso pela rede, a informação está inteiramente encriptada, o que torna impossível a espionagem e roubo de dados na rede.

Criptografia visual

A empresa britânica Tento Technologies, criou um novo sistema de senhas baseado em criptografia visual. O log-in é realizado passando pela imagem no écran um cartão de plástico, o que revela então uma senha que constitui um segundo nível de autenticação
Este sistema consegue gerar mais de três milhões de senhas ao mesmo tempo.

“Pega numa imagem e divide-a em duas. Uma destas imagens é impressa no cartão, a outra está no écran do computador”, explicou Howard Yates, diretor da Tento Technologies.
 
Full ID

Entretanto, a Bundesdruckerei, entidade emissora de papel moeda, selos, cartões de identidade e passaportes, na Alemanha, apresentou soluções e novas ideias para a gestão de segurança de identidade. O sistema chamado “Full ID”, torna possível o controle fronteiriço automático dos aeroportos. A operação vai fazer-se em apenas alguns segundos, com base na sua identidade biométrica e impressões digitais.