Última hora

Última hora

Soldado ucraniano: "sinto-me humilhado"

Em leitura:

Soldado ucraniano: "sinto-me humilhado"

Tamanho do texto Aa Aa

A base militar de Perevalnoe está situada a 20 quilómetros de Simferopol. Os militares ucranianos estão cercados por militares russos e pelos chamados grupos de autodefesa da Crimeia.

Sergio Cantone: “estamos junto à base militar ucraniana de Perevalnoe na península da Crimeia. A questão que se coloca é saber o que vai acontecer a esta base e aos soldados que aqui se encontram.”

A Euronews falou por telefone com um soldado ucraniano sobre as mudanças em curso na península da Crimeia e a integração na Rússia.

“Sinto-me humilhado. Não tenho futuro e não vejo qualquer futuro para a Crimeia. Tenho a impressão que o governo ucraniano não quer saber de nós. Não quer saber se a Crimeia vai ou não continuar a pertencer à Ucrânia. As decisões são tomadas em Kiev e esquecem-se dos ucranianos que aqui vivem. Ninguém vai lutar contra as forças de autodefesa se a decisão for a de nos integrar no território russo. Não vamos lutar e Kiev vai acabar por desistir”

Mas nem todos têm a mesma opinião. Os militares ucranianos que contestam a anexação têm três opções: abandonar a Crimeia, mudar de profissão ou integrar as forças armadas russas.