Última hora

Última hora

André Villas-Boas dois anos no Zenit por 17 milhões de euros

Em leitura:

André Villas-Boas dois anos no Zenit por 17 milhões de euros

Tamanho do texto Aa Aa

O Zenit de São Petersburgo é a mais recente etapa na rota dos milhões que André Villas-Boas iniciou quando no final da temporada de ouro de 2010/11 trocou o FC Porto, pelo Chelsea, a troco, na altura de 15 milhões de euros para os dragões. O treinador mais caro do Mundo, no que a transferências diz respeito, foi confirmado esta terça-feira como o novo treinador daquele que é considerado o clube mais rico da Rússia. O português assinou por dois anos a troco e, de acordo com a imprensa russa, vai receber cerca de 8,5 milhões de euros por temporada.

A contratação de Villas-Boas pelo Zenit ja havia sido, curiosamente, avançada no sábado pelo treinador do Benfica. Confrontado com uma eventual negociação em curso para trocar as águias pelo emblema russo, Jorge Jesus disse que o lugar era para o ex-FC Porto. “Sou amigo do André e ainda ontem [sexta-feira] estivemos varios minutos a falar e o que ele me disse é que ia para lá. Portanto, não serei eu”, afirmou o treinador do atual líder da Liga portuguesa.

Em São Petersburgo, Villas-Boas reencontra o internacional brasileiro Hulk, ao lado do qual foi campeão português, venceu a Taça de Portugal, a Supertaça Cândido de Oliveira e ainda a Liga Europa, e vai orientar também os compatriotas Luís Neto e Danny. Na equipa russa, o português sucede a Luciano Spaletti, despedido após cinco temporadas no clube, nas quais o italiano conquistou quatro títulos russos: dois campeonatos, uma taça e uma supertaça.

Com a apresentação marcada para quinta-feira, André Villas-Boas deixa um rasto de insucesso em duas épocas na Liga inglesa, de onde saiu em dezembro certamente, contudo, com a conta bancária bem recheada. O Zenit joga esta quarta-feira em Dortmund, nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, com uma desvantagem de 2-4 diante do Borussia, . A equipa russa ainda será orientada na Alemanha pelo treinador interino Sergei Semak.

Lançado como treinador principal na Académica, depois de alguns anos a trabalhar integrado nas equipas técnicas de José Mourinho, o também antigo protegido do inglês Bobby Bobson foi muito disputado no primeiro semestre de 2010 entre Sporting e FC Porto. Os dragões levaram a melhor na época seguinte praticamente limparam tudo na época seguinte – só falharam a Taça da Liga.

Roman Abramovich, que então procurava um treinador de ideias frescas para relançar o Chelsea, não hesitou em pagar os 15 milhões de euros que o FC Porto exigia para libertar o herói da “tripleta”. O magnata russo fez do português o treinador mais caro do Mundo e ofereceu-lhe um contrato de quase 20 milhões de euros por três temporadas. Mas o português não viria a aguentar uma. Com o objetivo de renovar o plantel, entrou em choque com algumas das estrelas veteranas da equipa e a corda acabou por partir do lado do treinador, em março de 2012.

Poucos meses volvidos, e quando ainda tinha a receber cerca de 12,5 milhões de euros do contrato com o Chelsea, Villas-Boas decidiu abdicar desse, digamos, dinheiro fácil e, mantendo-se ainda por Londres, assinou pelos vizinhos do Tottenham, a troco de cerca de 20 milhões de euros por três temporadas. Mais uma vez, a experiência ficou aquém da aposta do clube e a ligação entre ambos ficou-se pela época e meia – metade do contrato. Villas-Boas, ainda assim, deixou White Hart Lane como o treinador do Tottenham com maior percentagem de vitórias no campeonato desde a criação da “Premier League.”

O Zenit é, agora, a próxima etapa deste ainda jovem, mas já milionário treinador português. Aos 36 anos, André Villas-Boas muda-se de armas e bagagens para a Rússia e vai ainda a tempo de tentar conduzir a equipa de Hulk, Neto e Danny ao título nacional, quando faltam disputar nove jornadas. O líder é o Lokomotiv de Moscovo, com 44 pontos, mais três do que a agora equipa de Villas-Boas, que é segunda.