Última hora

Última hora

Voo MH370: Famílias desesperam

Em leitura:

Voo MH370: Famílias desesperam

Tamanho do texto Aa Aa

Os pilotos do voo MH370 estão no centro das atenções, mas a investigação sobre o desaparecimento do Boeing 777 está a marcar passo. Já se passou mais de uma semana desde que o avião da Malaysia Airlines que ligava Kuala Lumpur a Pequim e continua a não haver pistas, a não ser algumas suspeitas muito vagas, a propósito de um dos pilotos que montou um simulador em casa.

O avião pode ter voado por dois corredores aéreos, um que vai do norte da Tailândia à fronteira com o Cazaquistão, outro que vai da Indonésia ao sul do Oceano Índico. Nenhum destes países encontrou, até agora, vestígios do avião.

Na China, as famílias dos passageiros vivem momentos de desespero e culpam a companhia aérea pela falta de informação.

Diz o pai de um dos passageiros: “Queremos saber o que aconteceu com eles, porque a companhia só diz coisas sem sentido. Só agora, ao fim de uma semana, dizem que o avião pode ter ido para norte, quando sabiam isso desde o início. Esconderam essa informação”.

A história está a tocar vários países da região. Nas Filipinas, um grupo de artistas pintou um mural a três dimensões, numa escola, representando a esperança de encontrar o avião desaparecido e os passageiros com vida. Esperança, essa, que é cada vez mais reduzida…