Última hora

Última hora

Escócia a seis meses do referendo decisivo

Em leitura:

Escócia a seis meses do referendo decisivo

Tamanho do texto Aa Aa

O mapa da Europa pode mudar ainda mais, até ao fim do ano, se os escoceses aprovarem, no referendo marcado para 18 de setembro, a separação do Reino Unido.

Faltam exatamente seis meses para a consulta e uma regra está já a gerar alguma polémica: qualquer cidadão da União Europeia ou da Commonwealth residente na Escócia vai poder votar, enquanto os escoceses residentes noutros países não podem.

Os estrangeiros residentes incluem muitos estudantes: “Vou votar sim no referendo em setembro, porque acho que a Escócia pode dar um bom contributo à União Europeia”, diz Elisabeth Magnes, estudante austríaca.

Já Baron Hasslinger, sueco e alemão, é de outra opinião: “Vou provavelmente votar não, porque não tenho a certeza sobre as consequências”.

Por enquanto, as sondagens dão uma vantagem confortável à permanência da Escócia no Reino Unido, mas se a diferença se estreitar, o voto dos 100.000 estrangeiros capacitados para votar pode tornar-se decisivo.

O referendo é fruto de um acordo entre o governo da Escócia e o governo central do Reino Unido.