Última hora

Última hora

Três anos de prisão para antigo corretor francês

Em leitura:

Três anos de prisão para antigo corretor francês

Tamanho do texto Aa Aa

Protagonista de uma das maiores fraudes dos mercados financeiros, Jérôme Kerviel vai cumprir três anos prisão efetiva.

O Supremo Tribunal de Justiça francês rejeitou o recurso apresentado pela defesa do antigo corretor da Société Générale, mas perdoou o pagamento da indemnização no valor de 4,9 mil milhões de euros tal como exigia o banco.

Foi durante uma caminhada entre Roma e Paris contra “a tirania dos mercados” que Kerviel tomou conhecimento da decisão.

O caso remonta a 2008. Dois anos mais tarde, o antigo corretor acabou por ser condenado por abuso de confiança, falsificação de documentos e introdução fraudulenta de dados no sistema informático do banco. Recorreu, mas acabou por ver a pena confirmada.

Um caso que, segundo a defesa, não vai ficar por aqui.

“Há um novo processo no tribunal de Versalhes e a Société Générale vai ter de provar que não cometeu infrações que originaram os prejuízos que o banco invoca” refere a defesa de Kerviel.

Os advogados da Société Générale mostram-se otimistas.

“Vamos a Versalhes explicar o que sempre dissemos: que na altura em que o caso foi descoberto tínhamos conhecimento da existência de falhas no nosso sistema informático. Falhas essas que foram, entretanto, reparadas” afirma o advogado Jean Veil.

Acusado de lesar o banco francês em cerca de 5 mil milhões de euros, Kerviel garante que se limitou a cumprir ordens.