Última hora

Última hora

The Corner: Espanha imune à crise

Em leitura:

The Corner: Espanha imune à crise

Tamanho do texto Aa Aa

Restam oito equipas em busca do título mais cobiçado do futebol europeu. A elite do Velho Continente continua de olhos postos na final de 24 de maio no Estádio da Luz e pela primeira vez na sua história, os oito clubes presentes nos quartos-de-final são os oito clubes que venceram os seus grupos na primeira fase.

A Espanha mais uma vez deu uma demonstração de força e tal como o ano passado, mantém três equipas em prova. Real, Atlético e Barcelona deram um pontapé numa suposta crise de resultados no país vizinho, como muitos afirmaram após o desastre nas meias-finais do ano passado.

Os grandes favoritos neste momento são os merengues, em busca do décimo título europeu e que em dois jogos marcaram nove golos ao Schalke.

Já os colchoneros não dão sinais de fraquejar e 17 anos depois, colocam-se novamente entre as oito melhores equipas do Velho Continente.

Quanto ao Barça, continua forte na Europa apesar da irregularidade mostrada a nível interno.

Alemanha reduzida à dupla de sempre

Tal como o ano passado, Bayern de Munique e Borussia Dortmund são os representantes da Alemanha nos quartos-de-final. O Bayer Leverkusen e o Schalke, no entanto, mostraram que ainda não estão prontos para estas andanças.

Na primavera passada muito se especulou sobre a hegemonia do futebol alemão, que se preparava para tomar de assalto o futebol europeu à custa sobretudo da Espanha.

O Bayern é o único que se mantém prego a fundo. Continua a maravilhar sob o comando de Pep Guardiola e está a um passo de revalidar o título na Bundesliga. Tem tudo para se tornar na primeira equipa a revalidar o título europeu desde o Milan de Arrigo Sacchi em 1990.

Já as restantes equipas germânicas têm-se pautado pela irregularidade, com vários altos e baixos e eliminações prematuras na Europa. Mesmo o Borussia, finalista vencido o ano passado, sentiu algumas dificuldades para deixar pelo caminho o Zenit.

Inglaterra melhora, mas pouco

A Inglaterra tem duas equipas nos quartos. Um passo em frente para um país que o ano passado ficou sem representantes nos oitavos-de-final mas que continua a ser pouco para o país que inventou o futebol e continua a representar o sonho das grandes estrelas.

Chelsea e Manchester United seguem em frente e se nos londrinos, não se pode falar em surpresa, para o United a qualificação estava longe de ser um dado adquirido depois da derrota por 2-0 em Atenas.

Robin van Persie, com um hat trick, foi o herói e salvou a cabeça de David Moyes… por enquanto.

Manchester City e Arsenal, mais uma vez, tiveram de fazer as malas mais cedo. Apesar do sorteio não ter sido amigo, colocando no seu caminho Barcelona e Bayern, respetivamente, a falta de consistência demonstrada voltou a ser fatal na Europa.

PSG aposta forte na Liga milionária

Já os franceses não se podem queixar da sorte. Pelo segundo ano consecutivo, o Paris Saint-Germain chegou aos quartos sem defrontar uma equipa de topo do futebol europeu.

A equipa de Laurent Blanc tem o título francês praticamente no bolso mas o grande objetivo, que não é escondido pelo proprietário, continua a ser a Liga dos Campeões.

A fazer fé na comunicação social francesa, cada jogador tem mesmo prometido um prémio de um milhão de euros caso vençam na final de Lisboa. Como se o troféu não fosse motivação suficiente…

A três meses do pontapé de saída do Campeonato do Mundo temos uma imagem clara da divisão de forças no futebol europeu. A Espanha continua a dominar, a Alemanha tem vindo a crescer enquanto a Inglaterra perde peso. Pela primeira vez em cinco anos, a Itália não estará representada nos quartos. Está a França, com apenas uma equipa.

Os jogos dos quartos serão conhecidos em Nyon, na sexta-feira. A bola voltará a rolar a partir do dia 1 de abril.