Última hora

Última hora

Pneus verdes em andamento

Em leitura:

Pneus verdes em andamento

Tamanho do texto Aa Aa

Julián López Gómez, Euronews: “Será possível conduzir com pneus de camião mais ecológicos e mais resistentes, que consomem menos combustível? Bem-vindos a bordo desta viagem até aos pneus do futuro.”

No Luxemburgo, faz-se um teste de velocidade com uma missão específica. Os cientistas de um projeto de investigação da União Europeia trabalham para desenvolver uma nova geração de pneus para veículos pesados. Pneus desenhados para consumir menos combustível e ao mesmo tempo para reduzir o desgaste e aumentar a segurança.

Benoît Duez é coordenador do projeto LORRY: “Estamos a trabalhar com novos materiais e novos padrões de piso. A nossa abordagem é também inovadora, para uma melhor compreensão do comportamento físico dos pneus, para que possamos garantir uma melhor resistência no andamento. Estamos a estudar, por exemplo, a tensão dos materiais dentro dos pneus”, explica.

Julián López Gómez, Euronews: “Mas onde e como?… É que estes novos pneus são feitos e projetados?”

Nestes laboratórios, os investigadores experimentam novas receitas para cozinhar pneus inovadores. Ingredientes habituais, como borracha natural e enxofre, são enriquecidos com novas misturas e nanotubos de carbono.

Tom Linster é engenheiro bioquímico na Goodyear adianta que: “Para garantir uma boa resistência ao andamento é preciso usar produtos com fraca dissipação de energia. E também garantir que tanto a borracha como outras matérias-primas proporcionam uma melhor resistência à abrasão. Depois, a borracha é enriquecida com negros de carbono nas proporções corretas”.

Os futuros protótipos vão ser testados para avaliar vários elementos como a deflexão dos pneus, a resistência, ou o desgaste. Com esta avaliação, os investigadores também aproveitam para atualizar os métodos de teste.

“A nossa investigação tem um duplo sentido. Por um lado, queremos validar novos conceitos de materiais e as suas potenciais aplicações. Também pretendemos determinar se é preciso e se conseguimos desenvolver novos procedimentos, para testar os pneus feitos com estes novos materiais”, acrescenta Stephan Westermann, físico de materias.

Os testes são complementados com uma análise forense. A ideia é perceber ao detalhe microscópico como é que os diferentes ingredientes se mantêm unidos e avaliar a melhor forma de aumentar a eficiência.

Os cientistas esperam que todo este esforço ajude tanto os fabricantes dos veículos pesados, como os gestores de frota, os motoristas e o meio ambiente.

Para Benoît Duez, Coordinator:
“5% de poupança no consumo de combustível por cada camião, em frotas que podem ter centenas de camiões, significa uma enorme redução na fatura de combustível dos transportes rodoviários nas estradas europeias…O que também significa que podemos melhorar a pegada de carbono dos transportes rodoviários”.

Estes pneus recém-concebidos devem chegar às estradas europeias nos próximos 3 anos.

www.lorryproject.eu