Última hora

Última hora

The Corner: Barça baralha contas em Espanha, Chelsea humilha Arsenal

Em leitura:

The Corner: Barça baralha contas em Espanha, Chelsea humilha Arsenal

Tamanho do texto Aa Aa

O jogo grande do fim de semana, no Santiago Bernabéu, atraiu as atenções dos amantes de futebol um pouco por todo o mundo. El clásico, o duelo de gigantes entre Real Madrid e Barcelona.

Os catalães venceram por 4-3 e relançaram a luta pelo título. Sem dúvida alguma, o protagonista foi Lionel Messi, que apontou um hat trick e tornou-se no melhor marcador na história dos clássicos com 21 golos apontados em 27 participações. Alfredo Di Stéfano, com 18 golos, era o anterior recordista.

A partida ficou marcada pela expulsão de Sergio Ramos, aos 63 minutos, quando o Real vencia por 3-2. O Barça aproveitou ao máximo a superioridade numérica e impôs a primeira derrota aos madridistas em 30 jogos. A última vez que os merengues tinham perdido tinha sido no encontro da primeira volta, no Camp Nou.

O Barça parece ser a verdadeira besta negra dos merengues, se bem que para os jogadores do Real, o grande responsável pela derrota voltou a ser o árbitro. Alberto Undiano Mallenco foi a pior unidade em campo mas errou para ambas as equipas.

Quem aproveitou mais um duelo intenso entre os dois arquirrivais foi o Atlético de Madrid, que derrotou o Bétis e assumiu a liderança do campeonato. Os colchoneros têm os mesmos pontos do Real mas vantagem no confronto direto, o Barcelona segue a apenas um ponto.

Arsène Wenger vive pesadelo em Stamford Bridge

Na Premier League, nem nos maiores pesadelos Arsène Wenger podia ter imaginado pior forma de celebrar o milésimo jogo no banco do Arsenal. O Chelsea arrasou os gunners mas também aqui o árbitro esteve no centro das atenções ao expulsar o inocente Kieran Gibbs em vez de Oxlade-Chamberlain por uma mão na bola.

Dificilmente faria grande diferença no desfecho, o resultado final mais parece um resultado de ténis: 6-0. Mais uma derrota pesada para o Arsenal esta temporada, mais um triunfo para o Chelsea, que com José Mourinho no banco não perde em Stamford Bridge há 76 jogos.

O português parece ter um dom especial para estragar as festas de Wenger, já o tinha derrotado no jogo 500 como treinador do Arsenal, em 2005.

Com esta vitória, o Chelsea tem 69 pontos, mais quatro que o Liverpool. O Arsenal foi ultrapassado pelo Manchester City, que tem menos dois jogos.

Festa bávara adiada

O Bayern de Munique podia ter festejado já o título mas foi obrigado a colocar novamente o champanhe no gelo. O Borussia Dortmund e o Schalke também venceram e adiaram a festa dos bávaros.

Em Mainz, o Bayern precisou de esperar pelos últimos dez minutos para decidir o encontro. Bastian Schweinsteiger, de cabeça, furou a muralha defensiva local, quatro minutos depois, Mario Götze fez o mais fácil depois de um bom trabalho de Franck Ribéry.

Bem mais fácil foi a vitória do Dortmund em Hannover. Mats Hummels abriu o ativo três minutos antes do intervalo. Logo após o descanso, Robert Lewandowski aproveitou a passividade gritante da defensiva local para apontar o golo da tranquilidade. Marco Reus marcou o 3-0 final já nos descontos.

A festa do Bayern foi apenas adiada. Com 23 pontos de vantagem e 24 em cima da mesa, os bávaros podem dormir tranquilos. Já o Leverkusen voltou a tropeçar e está mais longe da Liga dos Campeões.

PSV ainda sonha

Na Holanda só se jogou metade da vigésima nona jornada. O Ajax, que só entra em campo a 2 de abril continua tranquilo na liderança mas o PSV não baixa os braços.

A equipa de Eindhoven subiu à segunda posição, a seis pontos do Ajax, depois de vencer o Roda.

Jürgen Locadia abriu o ativo logo aos 14 minutos mas o grande destaque da partida foi Bryan Ruiz. O costa-riquenho fez o segundo do PSV aos 63 minutos e ainda assistiu Jeffrey Bruma para o 3-1 final, a um quarto de hora dos noventa.

Benfica dá mais um passo rumo ao título

Em Portugal, o Benfica manteve a vantagem de sete pontos sobre o Sporting ao receber e vencer a Académica por três golos sem resposta. Lima bisou e foi o grande destaque dos encarnados.

O Sporting, no entanto, não desarma e foi ao Estádio dos Barreiros derrotar o Marítimo por 3-1. Já o FC Porto impôs-se ao Belenenses com um tento solitário de Juan Quintero, mas parece cada vez menos interessado no campeonato.

Os dragões entraram em campo com uma verdadeira revolução no onze, poupando as principais unidades para o duelo frente ao Benfica, esta quarta-feira, a contar para a primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal.