Última hora

Última hora

Voo MH370: cronologia de uma busca

Em leitura:

Voo MH370: cronologia de uma busca

Tamanho do texto Aa Aa

As buscas pelo avião desaparecido são agora oficialmente buscas pelos destroços do voo MH370 da Malaysia Airlines.

A confirmação do governo malaio de que o aparelho se despenhou no Oceano Índico põe fim a mais de duas semanas de especulações sobre o destino do Boeing da companhia aérea da Malásia.

O contacto com o avião foi perdido no dia 8, pouco depois de descolar de Kuala Lumpur em direção a Pequim.

Três dias depois, a área de buscas é alargada ao estreito de Malaca e posteriormente à zona do mar de Andamão.

A partir do dia 16, as autoridades malaias decidem conduzir uma investigação exaustiva da tripulação, visando em particular o piloto e o co-piloto do Boeing 777. São efetuadas, nomeadamente, buscas nas residências de ambos.

Dias antes, as autoridades já tinham virado as atenções para vários passageiros considerados suspeitos, nomeadamente dois cidadãos iranianos que viajavam com passaportes falsos, indicando no entanto que não há indícios de um atentado.

A 18 de Março, as operações de busca contam com a participação de 26 países, cubrindo uma área de mais de cinco milhões de quilómetros quadrados entre a Ásia e o Oceano Índico, concentrando-se em dois corredores, um a norte e outro a sul, que acompanhariam a eventual rota seguida pelo voo MH370.

A descoberta de objetos que poderiam constituir eventuais restos do avião concentram as atenções no Sul do Índico até que, esta segunda-feira, as autoridades malaias confirmam que o aparelho terá caído nesta área do Oceano, poucas horas depois da Austrália anunciar a descoberta de novos objetos que poderão pertencem ao voo fatídico.

Um navio australiano encontra-se na zona – 2500 km a sudoeste de Perth – para tentar recuperar os eventuais destroços, enquanto a marinha norte-americana anunciou o envio de um “localizador de caixas negras”.