Última hora

Última hora

Ligar-se à Internet através de drones

Em leitura:

Ligar-se à Internet através de drones

Tamanho do texto Aa Aa

A empresa norte-americana Titan Aerospace desenvolveu drones solares capazes de voar cinco anos sem tocar terra firme. A tecnologia não passou despercebida ao todo poderoso Facebook.

O gigante da Internet pretende pagar cinquenta milhões de euros pela fabricante dos aparelhos não pilotados. A ideia é usá-los para para ligar à Internet os locais mais inacessíveis do planeta.

“Quando se passa por terra, há vários custos associados aos cabos. É preciso fazer escavações em cidades. O ar é uma boa solução. É mais barato e permite uma cobertura mais global”, explica Michael Kende, da Internet Society.

Marck Zuckeberg milita pelo acesso de todos à Internet.

“Dois terços da população mundial não tem acesso à internet. As pessoas não podem pagar ou não entendem por que razão deveriam gastar o seu dinheiro para pagar a ligação. A solução não é fabricar telemóveis mais baratos, embora isso também seja importante, mas é diminuir os custos da rede”, considerou o homem de negócios e fundador do Facebook.

Zuckeberg não é o único a sonhar com a generalização da Internet. A Google
iniciou um projeto para expandir o acesso à Internet recorrendo a balões estratosféricos.

“Essas empresas têm muito dinheiro e estão à procura de formas inovadoras de generalizar o acesso à Internet mas isso exige uma boa estrutura de governança. O Facebook é um bom serviço mas não queremos que as pessoas pensem que a Internet é apenas Facebook e Google. Há muitas outras coisas. Mas claro, o projeto é um avanço”, sublinha Michael Kende.

Uma expansão global das ligações à rede criaria cinco mil milhões de internautas suplementares.