Última hora

Última hora

França: Hollande promete "governo de combate"

Em leitura:

França: Hollande promete "governo de combate"

Tamanho do texto Aa Aa

Manuel Valls é o novo primeiro-ministro francês.

Foi preciso uma vaga azul no território e a subida, sem equívoco, da extrema direita, com a conquista de vários municípios, para François Hollande aceitar que era preciso remodelar o governo, a começar pelo primeiro-ministro.

O presidente francês anunciou ao fim do dia, que entregou a chefia do governo ao, até agora, ministro do Interior.

“Vocês exprimiram descontentamento e deceção. Estou aqui para vos dizer que ouvi a vossa mensagem que é clara. Confiei, pois, a Manuel Valls a missão de conduzir o governo de França. Eles tem as qualidades necessárias. Será uma equipa reduzida, coerente e unida, quero dizer, um governo de combate”, afirmou.

Manuel Valls era o nome mais esperado. Era o ministro mais popular do governo de Jean-Marc Ayrault, ainda que não gere consenso.

“Enquanto ministro do Interior tinha algumas funções a cumprir; enquanto primeiro-ministro o trabalho será mais difícil. Será uma boa escolha? Só o futuro o dirá. De qualquer maneira, desejo-lhe coragem”,afirma um cidadão francês.

Uma jovem lamenta:
“Não é um homem de gestão é um homem de ofensiva. Não é aquilo que esperávamos, não é aquilo que os franceses esperavam. Uma crise gere-se com calma, uma certa diplomacia e Valls, de cada vez que esteve perante uma crise, reagiu em ofensiva”.

Se ainda é cedo para saber como vai Valls gerir o país, não é cedo para o novo governo arregaçar as mangas. A nomeação do novo primeiro-ministro surge numa segunda-feira negra em termos económicos, com as notícias da derrapagem do défice, da regressão do investimento empresarial e da redução do poder de compra…

Em França, o único indicador económico que parece ganhar terreno é o desemprego.